Distonia cervical

A distonia cervical, igualmente denominada por torcicolo espasmódico, resulta em espasmos intermitentes ou contínuos dos músculos do pescoço e, por vezes, dos ombros, provocando uma postura anômala da cabeça. Este transtorno neurológico do movimento instala-se progressivamente e pode ser acompanhado por tremores da cabeça, dores no pescoço, bem como uma elevação do ombro. Com a Ipsen, obtenha mais informações sobre esta patologia, sobre as formas de diagnóstico e sobre os diferentes tratamentos.

Nos casos em que os desvios da cabeça são ocasionais, a distonia cervical pode permanecer sem ser diagnosticada durante anos. O diagnóstico, geralmente estabelecido por um clínico geral ou por um neurologista, baseia-se em:

  • movimentos limitados do pescoço do doente;
  • uma posição anômala da cabeça ou do pescoço, acompanhada ou não de tremores;
  • um espessamento de alguns ou de todos os músculos afetados.

Também é possível realizar uma eletromiografia (EMG) de superfície, que permite medir a atividade muscular, em um consultório médico ou em um serviço de neurofisiologia no hospital. Contrariamente à eletroneuromiografia (ENMG), que é realizada com agulhas finas que espetam o músculo, este exame é feito com a ajuda de eletrodos colados na pele e se pretendem registrar os movimentos musculares anormais da distonia.

A forma mais frequente de distonia focal

Aparece geralmente
entre os 30 e os 60 anos

Um transtorno neurológico do movimento de instalação progressiva

Última atualização 06/10/2017